Abrabar orienta bares e restaurantes a doar alimentos aos colaboradores ou instituições

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) quer evitar o desperdício de alimentos especialmente dos bares e restaurantes que foram obrigados ou pararam espontaneamente suas atividades. A entidade recomenda a doação dos alimentos estocados aos colaboradores ou instituições de caridade ou filantropia.

A preocupação é principalmente com os alimentos que estão próximos do encerramento do prazo de validade, informa o presidente Fábio Aguayo. Na avaliação da Abrabar, muitas categorias, como os garçons autônomos, tendem a sofrer mais neste período de quarentena para evitar a propagação do coronavírus.

O momento exige a união de todos e evitar o desperdício é fundamental neste momento difícil de sobrevivência na sociedade brasileira, ressaltou Aguayo. Os colaboradores que são registrados, na avaliação dele, receberão férias e terão um suporte maior, mas a situação vai atingir em cheio que não tem estas garantias.

Sem impostos
A Abrabar também defende e está em articulação com o poder público para que os bares, restaurantes e casas noturnas não paguem impostos, taxas e multas enquanto forem obrigados a manter as portas fechadas devido o coronavírus. É preciso ainda um apoio extra dos governos para atravessar este período de crise, afirma Aguayo.

Em algumas cidades, os poderes públicos obrigaram bares, restaurantes e estabelecimentos similares a fechar as portas por causa da pandemia. A ideia é evitar aglomerações. A Abrabar afirma que é necessário neste momento uma espécie de “desobediência fiscal”.

“Por não termos outra alternativa de sobrevivência entre escolher pagar os tributos ou salários de nossos colaboradores, optamos pela dignidade humana e solidariedade humanitária aos seus familiares”, afirma a entidade. A anistia fiscal será essencial para manter as empresas e os empregos, completa.

Bitnami